Sempre que eu falo de uma Carteira de Investimentos Top, surgem várias dúvidas sobre o que é, pra que serve e como montar uma. Resolvi reunir tudo que você precisa saber sobre o conceito de Carteira de Investimentos TOP nesse guia completo.

Inspiração

Esse conceito de carteira para a todas estações (“all-weather-portfolio”) não foi inventado por nós. Quem criou essa ideia foi o Ray Dalio, um dos maiores gestores de fundos de investimentos de todos os tempos.

Só para você ter uma ideia, a Forbes coloca ele como fundador da maior firma de fundos de investimentos do mundo – a Bridgewater Associates. Ele gerencia APENAS mais de 160 bilhões (com B mesmo) de dólares.

Conceito

A nossa ideia quando resolvemos montar uma Carteira de Investimentos TOP foi bem simples: ter uma carteira que tivesse retornos bons sempre. Ou seja, que não sofresse muito quando o cenário econômico mudasse repentinamente – o que acontece de uma maneira muito mais frequente do que você possa imaginar.

Eu sei que isso soa quase impossível, mas basicamente quando você diversifica seus investimentos, você consegue reduzir o risco e aumentar os retornos. E a gente procura fazer isso da maneira mais inteligente possível.

Diversificação

Embora você possa ter uma ideia (ou ao menos uma expectativa) do que vai acontecer com a economia nos próximos meses, saber mesmo o que vai acontecer… ninguém sabe. E não tem mesmo como saber.

Por isso é importante que você tenha investimentos que vão ter, na média, bons retornos. Alguns desses investimentos vão se beneficiar quando a taxa de juros subir (Tesouro Selic, por exemplo), outros vão se beneficiar quando a inflação subir (Tesouro IPCA+, por exemplo).

E você ainda vai ter investimentos que vão ter um retorno excepcional quando essas taxas caírem (como o Tesouro Prefixado).

E você não vai querer ficar de fora quando a bolsa estiver superando máxima histórica atrás de máxima histórica, né? Pra que você não fique de fora, você precisa participar (em maior ou menor grau) desse mercado – por meio de fundos de investimento multimercado ou fundos de ações, por exemplo.

Ou seja, a ideia é usar a diversificação para aumentar seus retornos e controlar o risco.

Sempre gosto de usar a analogia da cesta de ovos. Você nunca deve colocar todos os seus ovos na mesma cesta.

Vai que a cesta cai, não é mesmo? Você não quer perder tudo de uma vez só, certo?

A ideia de diversificar é colocar um ovo em cada cesta. Se uma delas cair, você ainda tem as outras.

Características de uma Carteira de Investimentos TOP

  1. A maior parte dos seus investimentos está na renda fixa. Nada de correr muito risco com a maior parte do seu suado dinheirinho.
  2. Dentro da renda fixa, você tem investimentos que seguem a taxa básica de juros (indexados à Selic ou ao CDI), investimentos indexados à inflação (IPCA, por exemplo) e investimentos prefixados (se eles estiverem atrativos no momento. Já explicamos melhor sobre esse tipo de investimento aqui).
  3. Investir para o longo prazo. Sim, além de investir para os seus sonhos de curto e médio prazo, você também investe pensando no longo prazo – na sua tão sonhada independência financeira. Aqui entram vários tipos de investimentos, principalmente os indexados à inflação – para garantir seu poder de compra – e os investimentos em renda variável – que possuem um potencial muito grande de valorizar no longo prazo.
  4. Nunca arriscar mais do que você se sente confortável. Seja na renda fixa ou na renda variável. Conhecer o seu perfil de investidor é essencial para continuar no jogo. Se você não se sente confortável investindo em títulos prefixados, ou em fundos de ações, fundos imobiliários…simples. Fique de fora até que você se sinta confortável. Essa é a regra de ouro.
  5. Não perder tempo demais para decidir aonde investir. Em menos de uma hora por mês você consegue fazer tudo o que precisa para decidir aonde vai investir. Vejo muita gente que não investe porque não sabe aonde investir. O dinheiro acaba mofando pra sempre na Poupança. A outra desculpa que ouço muito é de não ter tempo pra gerenciar os investimentos. Mas dá sim pra fazer isso sem perder horas e horas toda semana. Somos prova viva disso 🙂
  6. Começar montando a base. Só depois você deve ir aumentando o risco, de pouco em pouco. Não dê um passo maior do que a perna. A ideia não é ganhar muito dinheiro rápido. E sim continuar no jogo por mais tempo. Afinal, você não quer virar estatística de que perdeu tudo investindo na bolsa né?
  7. Não precisa de muito dinheiro para começar. Com os títulos do Tesouro Direto já dá para iniciar a sua Carteira TOP.

Pra quem tá começando a investir agora

Renda fixa

Dá para começar investindo com pouco sim. Na renda fixa, temos títulos com valores super acessíveis : a partir de R$ 50 para o médio/longo prazo e a partir de R$ 100 para o curto prazo.

Se você não tem nem reserva de emergência…comece por aí.

E para quem prefere terceirizar a parte de renda fixa, também tem a opção de investir em fundos de renda fixa. Aí você tem um gestor profissional que monta exatamente uma composição de carteira de acordo com o cenário econômico.

A vantagem é que você não precisa de muito para começar e tem uma liquidez bem melhor. Normalmente você tem acesso ao seu dinheiro em 30 dias. No Tesouro IPCA+, por exemplo, você tem acesso ao dinheiro que você investir só no vencimento – ou seja, em 2024, 2035, 2045, etc..

Se você prefere investir em fundos, você precisa escolher bem porque pode ser que acabe não valendo a pena. A rentabilidade na renda fixa já é naturalmente menor…e você ainda tem que pagar as taxas pros gestores. Se o fundo não for bom mesmo, pode ser que acabe valendo mais a pena ficar só no Tesouro mesmo.

Renda variável para iniciantes

E se você já investe em renda fixa e tá começando na renda variável agora, tenho uma boa notícia pra você. Você não precisa ser expert no assunto pra ter bons retornos nos seus investimentos. Você pode começar a investir através de fundos de investimento.

Essa costuma ser a forma mais acessível de iniciar porque os valores de entrada são mais baixos.

E além disso, costuma ser a forma mais segura porque um fundo investe em várias coisas diferentes. Ou seja, o nosso requisito de diversificação já tá cumprido.

Você até pode começar por ações individuais, por exemplo. Mas o seu risco fica muito mais alto, porque com pouco dinheiro não tem como montar uma carteira diversificada de ações.

E aí se essa única ação for mal, seu rendimento vai lá pro buraco.

Com fundos, você deixa o seu dinheiro na mão de gestores profissionais para que ele tomem as melhores decisões sobre onde investir. Você só precisa saber escolher quais são os melhores fundos.

Não menospreze essa parte. Não adianta escolher qualquer um e achar que tá fazendo um ótimo negócio.

Mapa mental da sua Carteira TOP

Tentei resumir em um infográfico todos os tipos de perguntas que você deve fazer na hora de montar a sua Carteira de Investimentos TOP.

Agora você só precisa escolher quais investimentos fazer e começar.

Semana que vem vamos liberar uma aula completa ensinando um método bem simples de como escolher bons fundos de investimentos. Vamos mostrar todo o passo a passo que usamos para começar nossos investimentos em fundos.

Consegui aumentar muito meus retornos desde que eu comecei a investir em bons fundos de investimento.

Para receber o link da aula direto no seu email, é só se registrar aqui:

Gostou das dicas?

Compartilhe com seus amigos e nos sigam nas redes sociais que sempre tem conteúdo novo por lá.

InstagramFacebook e Youtube.

Até a próxima,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quinze + dez =